terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O caso de Betty Andreasson

abdução betty andreasson



















A 25 de Janeiro de 1967 dona de casa Betty Andreasson e a sua família ficaram surpresos quando a electricidade acabou, e uma luz vermelha brilhante brilhou através da janela da cozinha.

Quando a família olhou para fora, viram cinco criaturas “descendo” para a sua casa. 

As criaturas, em seguida, surgiram em linha recta, passando através da porta de madeira maciça. Imediatamente a família Andreasson ficou numa espécie de transe.

Os aliens foram descritos por Betty e seu pai como sendo baixinhos e sem características humanas habituais, embora um deles era claramente o líder.

Eles comunicavam-se apenas por telepatia, e Betty sentia-se calma e indiferente, mesmo quando viu que todos ali estavam num estado de animação suspensa.

Betty foi, então, levada a bordo de uma nave espacial, onde ela recebeu exames invasivos .

Cerca de quatro horas depois, Betty foi devolvida à sua família e os alienígenas libertaram todos do transe. Todos eles tiveram a memória recente apagada.

Oito anos depois, ainda atormentado pelas vagas lembranças da sua experiência que começaram a aflorar, Betty passou por doze meses de extensas avaliações psiquiátricas e uma série de testes psicológicos e médicos, incluindo hipnose regressiva e polígrafo.

Depois tudo foi dito e feito, foi determinado que Betty estava sã e acreditava mesmo na sua experiência de abdução alienígena.

O seu caso é um dos mais famosos casos de abdução Ovni até o momento.
Anos depois, a sua filha Becky Andreasson também foi abduzida, diversas vezes, tornando o caso ainda mais estranho.

Em 19 de setembro de 1961, Betty e Barney Hill, de New Hampshire estavam voltando para casa de uma viagem para o Canadá quando avistaram uma “nave em forma de charuto e bem iluminada” no céu, e que parecia estar vindo na sua direcção .

Impressionados, os Hills pararam o carro afim de olhar para o objecto voador através de binóculos. Eles alegaram ter conseguido ver várias figuras nas janelas da nave espacial, e que à primeira vista, não pareceram ser humanos.

Com medo, os Hills correram de volta para o carro e continuaram dirigindo. 

Duas horas depois, quando deram por si, eles estavam confusos, levemente sonolentos, e já se encontravam a 35 milhas de distância de onde eles lembravam estar dirigindo. os dois não tinham memória das últimas duas horas das suas vidas.

O vestido de Betty estava rasgado, os sapatos de Barney estavam seriamente arranhados, e os relógios do casal tinham parado ao mesmo tempo, na mesma hora.

A experiência incomodou os Hills por vários anos, até que, finalmente, eles dois resolveram procurar ajuda de um psicoterapeuta.

Foi durante as suas sessões de hipnose separados que as suas memórias do abdução afloraram. Eles relatavam ter estado a bordo de uma nave espacial, onde passaram por exames físicos levados a cabo por por alienígenas “baixinhos e cinzentos”.

Hoje, existe inclusive um marcador histórico na rodovia onde os Hills tiveram a experiência sobrenatural.

betty andreasson ovnis










O caso do casal Hill é um dos mais pesquisados e investigados na Ovnilogia.
Um detalhe interessante, é que num determinado momento, Betty percebendo que os seus captores eram de outro planeta, questionou de que planeta eles eram.

O alien perguntou a ela o que sabia do universo, e ela explicou que não sabia praticamente nada.

O alien puxou um mapa espacial, onde haviam marcas espalhadas, algumas maiores que outras e linhas que os ligavam. Algumas dessas linhas eram mais finas que outras.  
Betty olhou bem no mapa mostrado pelo alien e perguntou qual era o planeta deles ali.

O alien respondeu com uma pergunta: “Você pode achar o seu planeta aí?”


Ela sorriu e disse que não. Diante disso, o  alien respondeu de forma rude, mas objectiva: ” Se você não consegue sequer identificar o seu planeta, não faz sentido eu dizer de que planeta eu venho!” – E guardou o mapa.

Sob hipnose, Betty conseguiu reproduzir o mapa que havia sido mostrado .:

mapa zeta reticuli















Anos depois, uma astrónoma amadora chamada Marjorie Fish, que estava lendo o caso, interessou-se e pesquisou mais sobre o tal mapa. 

Ela conseguiu encontrar o desenho original de Betty sob hipnose e interpretou as linhas pontilhadas como sendo um indicador tridimensional. 
O mapa do alien era uma projecção bidimensional de um mapa 3d. Assim,  e usando os conhecimentos disponíveis na época começou a tentar encaixar aquele padrão nas estrelas conhecidas.
















O problema é que o mapa não encaixava. Anos depois, diante de novos estudos do espaço um novo mapa celeste foi gerada e acredite se puder, o mapa que o alien havia mostrado a ela finalmente encaixou!
















Após a conclusão do estudo desse mapa estelar, vários astrónomos verificaram o trabalho de Marjorie Fish e surpreenderam-se pela precisão do mesmo. O Dr. David Sauders, do Planetártio Adler, o Dr. George Mitchell, do departamento de astronomia da Universidade Estadual de Ohio, os cientistas J. A. Hynek e Terence Dickinson do Strassenbug Planetarium são apenas alguns dos nomes de astrónomos que comentaram muito positivamente o trabalho de Fish. Em dezembro de 1974, Terence Dickinson publicou um artigo intitulado “The Zeta Reticuli Incident”, na conceituada revista científica Astronomy.


O caso Hill começou a tornar-se ainda mais intrigante, porque Betty Hill era uma mulher cujo todo conhecimento de astronomia que tinha era o da escola, num tempo que lhe diziam que o sol era o centro do universo.

0 comentários:

Enviar um comentário